Notícias

Popó conhece o projeto do professor Ferreirinha

23 de Junho de 2014
Antes de torcer pela vitória da seleção brasileira, nesta segunda-feira (23), tive a honra de conhecer mais um brasileiro guerreiro e que mostrou para o Brasil que as dificuldades da vida não impedem de sermos vencedores.
 
Acompanhei a linda história de Antonio Ferreira, ao assistir o programa do meu amigo Luciano Huck, há algumas semanas. Descobri que no sertão nordestino, mais precisamente no povoado de Flamengo, 25 km de Jaguarari, na Bahia, que um homem humilde dá aulas de atletismo para cerca de 70 crianças. 
 
Para se chegar ao povoado é preciso passar por uma pista de terra batida, pedras e buracos. No local as crianças brincam e treinam em aparelhos criados no improviso, o de salto em altura, por exemplo, é formado por pneus e colchões, as garrafas de plástico, tubos de pvc, madeira e elásticos também têm suas funções específicas para os alunos de Ferrerinha. "É difícil ganhar uma medalha, mas temos sempre que confiar em nós mesmos. A minha família me apoia muito, o atletismo é a minha vida. Se não fosse pelo esporte, eu não teria essa felicidade e toda essa saúde".
 
O começo de Ferrerinha como treinador de atletismo teve sua filha como principal motivadora. Com os resultados obtidos, as amigas também se interessaram. "Comecei com minha filha, que cobrava muito de minha parte que queria ser atleta. As coleguinhas foram chegando porque ela participou de competições e teve resultado. Aí ela pediu que eu acolhesse as coleguinhas dela", assim me contou com o sorriso estampado no rosto, o guerreiro Ferreirinha.
 
Com a ajuda da comunidade e do programa Caldeirão do Huck, Ferreirinha conseguiu realizar um sonho e ganhou um centro de treinamento, com equipamentos novinhos e estrutura impecável. 
 
Além das 70 crianças na comunidade do Flamengo, Ferreirinha também treina crianças na comunidade de Araras, no município de Campo Formoso. Lá, as condições são ainda mais precárias, com o circuito marcado pelos alunos com pó da pedra de cal, além da maioria dos jovens treinarem descalços. Mas o esforço vale a pena na visão deste vencedor. "Eles esperam muito de mim. Só peço saúde a Deus para que eu possa ajudá-los", comenta com os olhos cheios d`água. 
 
Eu mais do que ninguém conheço bem essa realidade, sei o quanto é difícil ser reconhecido e valorizado como atleta. Me emocionei, me orgulhei ao perceber que o Brasil tem muita gente boa e que não tem medo dos obstáculos da vida. Parabéns, Ferreirinha! E que sua história sirva de exemplo para o resto do país.  
 
Confira como foi o programa Caldeirão do Huck:
http://gshow.globo.com/programas/caldeirao-do-huck/O-Programa/noticia/2014/06/comunidade-ajuda-professor-do-sertao-a-construir-centro-de-treinamento-para-atletas.html
 
 


 

Voltar